2100! Educação ambiental e a preservação da vida no planeta

Publicado em 10/04/2017

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                              

 “O meio ambiente é tudo que não sou eu”. Essa frase é de um dos maiores cientistas, se não o maior, que já habitou Gaia em todos os tempos, Albert Einstein; Apenas para elucidação Gaia era o nome dado ao planeta Terra ou a “mãe Terra”, em outros tempos pelos antigos gregos. Indo um pouco mais além diria que o meio ambiente é o que nos cerca e nós como parte dele, muito embora para a maior parte dos que aqui habitam isso é apenas uma alusão a algo que ouviram falar, ou seja, estão pouco se lixando.

Só para se ter uma ideia dados recentes sobre o desmatamento na Amazônia dão conta que desde 1970 uma área de floresta tropical do tamanho da frança veio abaixo, seja por motivos econômicos, seja por questões culturais ou simplesmente porque a cobiça dos homens falou mais forte. Quem sofre com esse quadro de desmando e irresponsabilidade? Todos nós.

De imediato podemos citar os povos da floresta, populações indígenas que vem sendo dizimadas em nome de um suposto progresso que começa a cobrar seu preço e a conta está alta. Basta olharmos ao nosso redor para vermos o desequilíbrio climático ceifando vidas e provocando grande sofrimento com epidemias pessoas ao relento. Qual o caminho seguir?

Dentro das propostas mais coerentes está a que nos remete ao desenvolvimento de uma consciência sobre a importância de preservamos o lugar onde vivemos. E para que essa consciência tome corpo e conquiste mentes e corações o único caminho é a educação.  Educação que constrói pontes entre os homens ao invés de muros que os separem. Que planta o bem e reverencia a vida e não cultua a morte e a intolerância, pois que o bem estar de toda forma de vida que habita o planeta é condição única para a própria sobrevivência humana. Sabemos e de muito, que o equilíbrio é à base da existência de todo ecossistema que nos sustenta.

Assim é na educação que temos a luz que irá iluminar o futuro e propiciar que continuemos por aqui evoluindo em harmonia com o meio no qual habitamos e fazemos parte.

Em 2100, romance ambiental que acabo de publicar pela editora carioca autografia, traço um perfil dos dias atuais e do descaso de nossos governantes com as questões ambientais, sobretudo o das nações que mais poluem e de suas implicações para o futuro da humanidade. Uma história recheada de fatos e na qual não faltam muita imaginação para concebermos um mundo que, embora sobrevivam o aqueles que querem ainda sua destruição pela própria incompreensão do lugar que ocupam na escala da vida e do privilégio que tem, respeitam e honram a natureza que restou, após uma grande catástrofe ambiental, e a vida que só pode ser possível graças a essa consciência que mais do que ambiental tem que ser humanitária.

 

Ficou interessado, copie o  link: https://www.kobo.com/br/pt/search?query=Armando%20Barreto&fcsearchfield=Author

 

 

Armando Barreto – Jornalista – MTB 23108

 

Escritor, Especialista em Educação, Coaching e Liderança

www.worldtradingcoaching.com

asrbarreto@hotmail .com.

Comentários

Para comentar é necessário estar logado.

Nenhum comentário até o momento.